segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Pichação: Vandalismo em locais público e privados


Artigo de opinião:











[Matéria Publicada Pelo Jornal - Tribuna em Minas]


Praças, canteiros, edifícios em construção, bancos de praças e orelhões são os principais alvos de pichação praticada por vândalos. No Brasil, a pichação é considerada vandalismo e crime ambiental, nos termos do art. 65 da Lei 9.605/98 (Lei dos Crimes Ambientais).

A ousadia dos “pichadores” está cada vez maior, ultrapassar limites e burlar as leis é um dos principais intuitos dos pichadores. Quanto maior for o monumento ou prédio, a prática fica mais desafiadora e tentadora. Para pichar eles se arriscam, escalam prédios, usam cordas e se apoiam em alambrados e até mesmo em parapeitos.

Ha quem acredite que pichadores e grafiteiros são a mesma coisa. Mas não são. A pichação é feita por amadores, que se utilizam desse meio para simplesmente poluir ambientes públicos e privados. Para isso usam frases de insultos, códigos de gangues para demarcar território e desenhos sem qualquer significado idealizador ou cultural.

O grafite é uma arte dotada de referências. Os grafiteiros tem como fundamento enfatizar protestos e expor opiniões. Com o spray em mãos eles conseguem, com traços e cores fortes, chamar a atenção para seus desenhos e símbolos, sempre são voltados a uma ação social ou cultural.

Em nossa cidade convivemos com outro tipo de vandalismo. Que é mais visível em praças, canteiros, casas e bancos de praças. E não precisa de qualquer material específico, é feito com canetas, pincéis, enfim, e poluem visualmente as áreas de lazer.

Nota-se que as pessoas que escrevem ou rabiscam esses locais, não consideram isso uma poluição, muito menos vandalismo.

Levando em conta os conceitos citados pixar não é considerada liberdade de expressão. E sim um tentado contra o patrimônio. Tendo em vista principalmente, a não concessão do proprietário na maioria das vezes, que é surpreendido por uma “bela” obra de arte na fachada de sua casa.




4 comentários:

Renan Barbosa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Renan Barbosa disse...

A pichação é, sem dúvida uma mostra de ignorância e da boa e velha falta de educação. Alias é a ausência de educação a chave do problema. Se nosso país investisse mais em projetos culturais, talvez os pichadores se transformariam em grafiteiros e ai sim, criariam projetos artísticos.

Adorei o Blog Carlinha! Parabéns!!

Sucesso!!

Bjuss!!

Carlinha disse...

Obrigada Renan.!
=)

kamppuss disse...

Gostei do seu texto, inclusive peço a sua permissão para utilizá-lo em um projeto que estou escrevendo, já que na escola onde trabalho temos sérios problemas com pichação, nas paredes dos banheiros, muros e nas cadeiras que têm menos de 2 meses de uso e já estão todas pichadas.Penso que qualquer reivindicação pode se transformar em algo negativo quando fere os direitos de outros, isso ocorre com a pichação, pelo menos aqui na escola, pois aqui esse ato não mostra o grito de um grupo excluído e sim, o incentivo a violência, a marginalidade, ao uso de drogas.

Postar um comentário